SALADA DE QUINOA COM BACALHAU, GRÃO E ESPINAFRES

POR Figo Lampo

TEMPO TOTAL: 45 mins | DOSES: 2 | DIFICULDADE: Fácil

Preparação: 30 mins | Cozedura: 15 mins

HISTÓRIA

Era certo. Quando no pátio se sentia aquele cheiro acre a couve, estava ditada a minha sorte. Nem me atrevia a perguntar-lhe o que era o almoço. Arrepiava-me só de pensar no prato que me iria pôr à frente. Feijão com repolho. Outras vezes grão. Juntava-lhe arroz. Outras vezes massa. Tudo em farta comunhão com as carnes e os enchidos acomodados numa panela de pressão.
Engolia em seco só de imaginar o sabor adocicado do repolho. Dava-se-me um nó no estômago só de saber que não me deixava sair da cadeira sem que visse o fundo prato.
Nesses dias sentava-me à mesa de cabeça baixa. Ela empurrava a minha cadeira para a frente, eu apoiava o queixo nas palmas das mãos e suspirava em sinal de protesto. Mas de nada me servia.  
O meu avô, que nunca se lhe gabou paciência, remexia-se na cadeira, dava voltas ao seu enferrujado canivete de mola, subia o som da televisão e rezingava entre dentes: “esta moça não gosta de nada, está mal habituada… só come o que quer... culpa do pai e da mãe que lhe fazem as vontades todas...”  
Eu resistia. Ela insistia: “come Sónia...”. E o meu avô inquietava-se. E rematava a cada tentativa da minha avó. 
Eu torrava-lhes a paciência. A comida gelava no prato. Ela mantinha a colher em punho e insistia: “come Sónia...”. Eu resistia. 
E quando ela encostava a colher aos seus lábios eu encolhia os ombros e ouvia-a perder a paciência: “já a comida está gelada Sónia!” 
Abanava a cabeça em sinal de impaciência, tirava-me o prato da frente, voltava a pôr o cozido no tacho e tornava a aquecê-lo.
Nesta altura quem se inquietava era eu. Sabia que entrava na fase derradeira.
Ela tornava a pôr-me o prato à frente, agarrava a colher e disparava: “abre a boca Sónia!”. O meu avô enfurecia-se: “comei isso de uma vez moça!”.
E eu cerrava os olhos, continha a respiração e abria a boca. Engolia de uma vez, respirava fundo e repetia até à última colherada. 
Atiçava ela: “custou assim tanto? Então, gostaste ou não gostaste?”
Rematava ele: “valha-me Deus que esta moça chaga-nos a paciência!”

Eu olhava para a minha avó e para o meu avô e suspirava de alívio.  
Acabei (muito) mais tarde por lhes agradecer a insistência e persistência à hora da refeição por todos os sabores que me incentivaram a provar, contrariando sempre o meu recorrente e teimoso “não gosto”. 

INGREDIENTES E PREPARAÇÃO

1 chávena Quinoa
2 chávena Água
1 chávena Bacalhau
1 chávena Grão de bico cozido
1 chávena Espinafres
1 Sumo de limão
q.b. Salsa
q.b. Sal
q.b. Pimenta preta
q.b. Queijo-creme

Para a salada de quinoa, leve ao lume um tacho com a água e uma pitada de sal. Quando ferver junte a quinoa, previamente passada por água e escorrida. Deixe cozinhar durante 10-15 minutos.

Coloque a quinoa numa taça de servir. Junte o bacalhau desfiado e o grão cozido. Regue com o sumo de limão e envolva tudo.  

Corte os espinafres em juliana e salpique por cima da quinoa. 

Termine decorando a salada de quinoa com salsa picada e nozes de queijo creme.

OUTRAS SUGESTÕES