O Mundo do Chá

Somos grandes fãs de chá. Além do delicioso sabor, tem uma história rica e fantástica que se estende por todo o mundo.

Aqui fica um resumo rápido para si – algumas das nossas curiosidades preferidas da história do chá:

 

Diz a lenda que o Imperador Chinês Shennong descobriu o chá por volta do ano 2737 AC. Quando se sentou a beber um copo de água quente, uma brisa suave soprou folhas de chá para a sua bebida, alterando a sua cor. O Imperador bebeu um gole e pensou “Isto não é mau!” e assim, simplesmente, surgiu o chá.

 

 Quer seja verdade ou não, os registos sugerem que os chineses bebem chá, pelo menos, desde o século X AC – tornando-a numa bebida com mais de 3000 anos!

 

 Com rotas comerciais abertas para a Coreia, o Japão e o Vietname, o chá parece ter-se tornado incrivelmente popular em todo o Extremo Oriente durante da Dinastia Tang na China. Na verdade, de acordo com Lu Yu, tornou-se tão popular que alguns comerciantes pararam a negociação em dinheiro, preferindo negociar blocos de chá.

 

 Os Samurai do Japão – guerreiros de elite célebres pelo seu código de moral forte e autodisciplina – adoravam as festas de chá. O Cha No Yu, ou cerimónia do chá, era uma tradição que lhes era muito querida. Takuan Soho escreveu no século XVII que eles “escutavam em silêncio a água a ferver na chaleira, que soa como uma brisa que passa através das agulhas dos pinheiros, e esqueciam-se completamente de todos os problemas e preocupações mundanos”. Parece uma boa forma de relaxar.

 

 Naquela que foi talvez a mais famosa festa de chá de todas, não beberam chá, mas sim destruíram-no! A Boston Tea Party foi um protesto realizado em 1773 em resposta à Lei do Chá do Parlamento britânico. Os Filhos da Liberdade despejaram cerca de 342 caixas de chá ao mar. Foi um momento chave na Guerra da Independência Americana.

 

 Julga-se exigente no que diz respeito a chá? Não é o único. Margot Asquith, esposa do antigo primeiro-ministro britânico Herbert Asquith, escreveu esta história no século XIX: “Um dia, o mordomo serviu o primeiro-ministro Asquith à hora do chá. Teve lugar a seguinte conversa: “Chá, café ou um pêssego, senhor?” “Chá, por favor.” “Da China, Índia ou Ceilão, senhor?” “China, por favor.” “Com limão, leite ou natas, senhor?” “Leite, por favor.” “Jersey, Hereford ou Shorthorn, senhor?” E assim sucessivamente – esperemos que tenha conseguido beber a tal chávena de chá!

 

 George Orwell (sim, o mesmo que escreveu 1984 e O Triunfo dos Porcos) publicou um ensaio brilhante no London Evening Standard a 12 de janeiro de 1946, intitulado “A Nice Cup of Tea” (Uma boa chávena de chá). Nele escreveu “o chá é um dos pilares da civilização” – e não podemos discordar.

 

 Muitas pessoas afirmam que conseguem fazer a chávena de chá “perfeita”. Mas isso só é verdade se estiverem a seguir a norma ISO 3103:1980. Esse é o método normalizado internacionalmente reconhecido para fazer chá, conforme aprovado pela Organização Internacional de Normalização. Não estamos a brincar – um organismo mundial publicou um documento oficial sobre a forma correta de fazer o chá – trata-se de um assunto sério.

 

Então e a NESTEA?

 

Há motivos de sobra para desfrutar de NESTEA – é delicioso (como sabe) e contém extrato de chá de folhas de chá cultivadas em plantações cuidadosamente selecionadas, para que possa desfrutar de um fantástico sabor do chá em cada gole. Saiba mais sobre NESTEA, aqui

 

Qual a diferença entre chá e bebida refrescante de chá?

 

É só chá com gelo, certo? Mais ou menos, mas não é bem assim. Para compreender verdadeiramente a bebida refrescante dechá, tem que ver a sua história e como é feito em todo o mundo. Clique aqui para saber mais sobre uma das bebidas preferidas do mundo.